TK 90X - TK 95 - ZX Spectrum

O que é ?

O Projeto BetaDisk é um projeto de preservação e disponibilização de softwares adaptados para o TK90X/TK95 e as interfaces de disco Beta nacionais.

O objetivo primário deste projeto é coletar, recuperar, preservar e distribuir os jogos "multiload" (quais sejam, os jogos em que as fases do jogo são carregadas do meio de armazenamento para a memória à medida em que jogamos e avançamos fase a fase) para o TK90X/TK95 convertidos para funcionar nas interfaces brasileiras BetaDisk (C.A.S, C.B.I., IDS-91, Arcade etc.). Estes jogos não foram originalmente feitos para disco, eram para uso com o K7. Contudo, devido as interfaces de drive para o TK e a vontade - óbvia - de utilizá-la nos jogos, vários usuários do TK modificaram os jogos e adaptaram rotinas para o carregamento a partir do disco. Este trabalho era relativamente complexo pois exigia "rastrear" o jogo e "descobrir" os pontos de carregamento da fita para enfim efetuar a modificação, adaptando rotinas em "linguagem de máquina" para tal. E essas precisosidades acabaram perdidos nos meandros do tempo, mas, graças aos esforços da comunidade TK90X brasileira muitos deste jogos conseguiram ser recuperados, e os programas devem e merecem ser preservador para sempre, para que todos os fãs do TK tenham acesso. E é isso que pretendemos.

Além destes jogos "multiload", nosso projeto pretende também disponibilizar, da mesma forma, os jogos "comuns" ("não-multiload") adaptados para a BetaDisk com o sistema de carregamento original (sem utilização da Multiface 1), com as telas de carga e tudo o mais; além, também, dos aplicativos e utilitários adaptados e/ou criados para uso com as interfaces BetaDisk nacionais.

Esperamos que este projeto agrade a todos os fãs do "velho e bom" TK, e também, incite nos usuários a vontade de colaborar, ajudando-nos a enriquecer o acervo e também, porque não, reprogramando jogos que não tiveram sua versão disco feita à época, voltando aos "bons tempos" em que "brincávamos" e nos divertiamos com nosso pequeno micrinho.

 

Eduardo Luccas
Outubro de 2005